As palavras como
objetos físicos.


"O ponto de partida é sempre um poema. Palavras são
cápsulas mágicas que 
encadeiam dão sentidos muito
profundos a sentimentos e comportamentos que nem
sempre são facilmente catalogáveis. Ao transportar o
texto escrito para o mundo real, essa capacidade de
comunicação se amplia, imergindo o espectador em poesia,
que ganha corpo e presença. Minha missão é levar as
pessoas a esses lugares íntimos de
auto-imersão e contemplação empática."

 

“Dociliza”, 2016

Da série: Outros poemas-objetos

aço oxidado sobre madeira
 

Inspirada pelos estudos dos limites entre a escrita e o desenho, através da Análise de cadernos de artistas como Louise Bourgeois e Antonin Artaud, a peça sintetiza a percepção da autora quanto aos poderes conformistas da linguagem escrita. Entende- se que é a partir da educação lingüística e do domínio da comunicação registrada, que o homem-social se sobrepõe sobre ao homem-selvagem. No âmbito da produção poética, a produção escrita suaviza as urgências humanas.



  Veja Mais

Poema - objeto

estudos pictóricos de linguagem e significado, 2017

Saiba mais 

Indio, 2016

Da série: Outros poemas-objetos

Saiba mais 

Gota, 2016

Da série: Manuscritos

Saiba mais 

“Monolito”, 2016

Da série: Manuscritos

Saiba mais 
Exibindo de 1 a 4 resultados (total: 8)
Tecnologia do Google TradutorTradutor