As palavras como
objetos físicos.


"O ponto de partida é sempre um poema. Palavras são
cápsulas mágicas que 
encadeiam dão sentidos muito
profundos a sentimentos e comportamentos que nem
sempre são facilmente catalogáveis. Ao transportar o
texto escrito para o mundo real, essa capacidade de
comunicação se amplia, imergindo o espectador em poesia,
que ganha corpo e presença. Minha missão é levar as
pessoas a esses lugares íntimos de
auto-imersão e contemplação empática."

 

sobre

Nascida em 1984 no Rio de Janeiro, Diana sempre explorou a poesia literária e as diversas nuances do texto escrito, tendo encontrado na poesia concreta e posteriormente na poesia marginal, um elo de interesse com as artes visuais. Graduada em Publicidade e Marketing pela ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing em 2006, ultimamente a sua busca tenta conciliar texto escrito com abordagens esculturais transformando palavras em objetos físicos. 
Suas obras partem de objetos cotidianos que ressignificados expõem pensamentos que acertam com os limites entre o pictórico e o escultural. Suas influências vão de escritores à artistas como Antonin Artaud, Louise Bourgeois, Gunter Uecker, Alicja Kwade e a escritora brasileira Ana Cristina Cesar. 
Em 2017 Diana fundou o LAB_Ø1, um coletivo feminino que reúne artistas de diversas partes do mundo, que produzem em conjunto, trabalhos que questionam e remetem as movimentos sociais e questões existenciais da contemporaneidade. 
Diana também está publicando seu primeiro livro de poesia em 2018.

Tecnologia do Google TradutorTradutor